Pesquisar este blog

terça-feira, 31 de outubro de 2017

Os problemas sociais e trabalhistas com novos conceitos



Novo livro analisa, sob a ótica de um artista, os tempos atuais vividos pelos brasileiros


O mercado de trabalho, como se apresenta hoje, reflete tudo o que somos e fazemos no nosso dia a dia. A rapidez com que informações são compartilhadas e a necessidade constante do consumo não permitem tempo para maiores reflexões. O resultado disso é um grande número de adolescentes e adultos com distúrbios de ansiedade e nervosismo. Por isso, novos pensadores e filósofos refletem sobre os dias atuais aplicando conceitos já conhecidos de outras décadas.

Gustavo Gumiero, doutor e mestre em Sociologia, trouxe ao Brasil a tradução do livro "A recusa ao trabalho", do sociólogo italiano Maurizio Lazzarato, pela Scortecci Editora. Gumiero era um grande fã do autor, foi conhecê-lo e acabaram por se tornar amigos. Com poucas obras traduzidas e publicadas no País, ele diz que a nova obra não poderia ficar de fora das prateleiras sendo algo tão contemporâneo à realidade do Brasil. "Acredito que é um livro que trata de muitos assuntos da realidade brasileira, como o desemprego, a perda de direitos trabalhistas, a questão da automatização das tarefas, dentre outros", analisa.

Na obra, o autor se inspira no artista Marcel Duchamp, que era pintor, escritor e poeta, e que criou uma linha de pensamento sobre a "ação ociosa" e a "recusa ao trabalho" como conceitos positivos ao trabalhador. Para o artista, não importava o resultado final e, sim, o seu processo criador, escapando de uma função que está pré-fixada e a perda de sua autonomia. Em outras palavras, não se preocupar com a "pressa", não simplesmente "vender" o seu trabalho e se tornar "escravo" dele porque precisa – mas, sim, vivenciar suas experiências, ter prazer em fazer aquilo e permitir que quem veja sua obra também sinta as mesmas emoções. "Ele consegue elucidar a atualidade brasileira e mundial sob o aspecto da transformação da realidade do trabalho", afirma Gumiero.










Nenhum comentário:

Postar um comentário

Posts mais acessados