Pesquisar este blog

quarta-feira, 9 de agosto de 2017

De violência na cidade à crise política no país: trauma psicológico é o grande mal da sociedade moderna



SP será sede de curso sobre o tema, em 23 de setembro, aberto ao público geral e profissionais da saúde, coordenado pelo psicólogo e neurocientista Julio Peres


Nas últimas décadas, episódios traumáticos têm se intensificado. No Brasil, a violência das grandes cidades e a insegurança gerada pela crise política e econômica contribuem para o aumento de pessoas com traumas psicológicos. Assaltos, sequestros, estupros, acidentes naturais, enfermidades, conflitos interpessoais, desajustes familiares, desamparo, confrontos armados, acidentes automobilísticos e perdas de entes queridos são considerados, entre outros, eventos potencialmente traumáticos. Em 23 de setembro, São Paulo será sede de curso sobre o assunto - “Trauma Psicológico: Diagnóstico e Tratamento” -, realizado pelo Laboratório de Neurociências do Instituto de Psiquiatria do Hospital das Clínicas.

Para se ter ideia da dimensão do problema no Brasil, dados do Ministério da Saúde indicam que a cada hora cinco pessoas são internadas por conta de transtornos mentais e comportamentais. De janeiro a junho foram 24.148 casos - 15.986 mulheres e 8.162 homens.

“É um mal que atinge a todos independentemente da faixa etária e da classe social. Infelizmente, de maneira distinta ao que ocorre com a doença ‘física’, os transtornos psicológicos raramente são debatidos com a população em geral”, afirma Julio Peres, psicólogo clínico e neurocientista, coordenador do curso. 

As memórias traumáticas acarretam sofrimentos psíquicos, emocionais (como depressão), de ansiedade (fobias específicas, pânico, estresse pós-traumático) e físicos (fibromialgia, cefaleia, fadiga crônica). Estudos epidemiológicos estimam que a prevalência ao longo da vida para ocorrência de eventos potencialmente traumáticos pode alcançar de 50% a 90% da população. Em outras palavras, a maioria de nós passou ou passará por traumas psicológicos.

São sofrimentos, que muitas vezes, impossibilitam o indivíduo de ter uma vida sociável e produtiva, o que revela a necessidade de se discutir o tema não apenas no meio acadêmico. 

O curso “Trauma Psicológico: Diagnóstico e Tratamento” será o primeiro no país relacionado ao tema aberto ao público em geral. Também é destinado a estudantes e profissionais da saúde mental. Profissionais e professores referências do Brasil trarão informações sobre o trauma psicológico, as abordagens psicoterapêuticas Psicanalíticas, Cognitiva Comportamental e Junguiana, além das principais contribuições das neurociências sobre os efeitos neurobiológicos da psicoterapia.






Julio Peres - Psicólogo clínico com 27 anos de experiência clínica, neurocientista há 15 anos. Como clínico e pesquisador, unificou os campos da Psicologia e Neurociências e aprofundou seu interesse nos efeitos neurobiológicos da psicoterapia. Conduziu estudos com neuroimagem funcional sobre o tema em seu doutorado e um dos pós-doutorados, revelando as repercussões cerebrais da superação mediada pela psicoterapia. É doutor em Neurociências e Comportamento pelo Instituto de Psicologia da Universidade de São Paulo. Tem pós-doutorado pela University of Pennsylvania e pela Escola Paulista de Medicina da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp) em Diagnóstico por Imagem. É autor do livro “Trauma e Superação: o que a Psicologia, a Neurociência e a Espiritualidade ensinam” da editora ROCA. Possui artigos científicos publicados sobre trauma e superação, neurociências, neuroimagem, psicoterapia, resiliência, espiritualidade, entre outros temas.  Também é pesquisador do PROSER, Instituto de Psiquiatria da Universidade de São Paulo. Editor da seção Psicologia e Psicoterapia do periódico científico Archives of Clinical Psychiatry.





Nenhum comentário:

Postar um comentário

Posts mais acessados