Pesquisar este blog

terça-feira, 11 de julho de 2017

Alimentação natural oferece todos os nutrientes necessários para os cães




A qualidade da alimentação influencia diretamente a saúde e a expectativa de vida dos animais

 
A alimentação é muito importante para a saúde do pet. Cada vez mais as pessoas estão questionando se a melhor opção é dar ração ou comida. Estudos científicos baseados em grupos controle e observações empíricas, concluíram que, fisiologicamente, a alimentação natural é mais saudável para os cães.

Segundo Flávia Engles, veterinária e proprietária da Riviera dos Cães, uma dieta caseira oferece diversos benefícios, dentre eles a maior presença de água (umidade), o que facilita a digestão dos alimentos, o trabalho dos rins, do intestino e, com isso, estudos apontam um aumento na longevidade dos cães.

A ração contém aditivos químicos, como conservantes, palatabilizantes, corantes, aglutinantes, entre outros. “Muitos desses aditivos são prejudiciais à imunidade, à função hormonal, além de estarem associados a alergias e tumores”, destaca Flávia. Já a alimentação natural é bem mais atraente ao paladar dos cães, por ser úmida, cozida e fresca, preserva o sabor de cada alimento, como também, a inclusão regular de alimentos diferentes reduz o risco de intolerância e alergia alimentar, associadas à oferta de dietas sem variação de ingredientes”, explica a profissional.

Outro benefício garantido pela alimentação natural é a presença de proteína animal de excelente valor nutricional, combinada com ótimos níveis de minerais e ácidos graxos, que reduzem a queda de pelos e tornam a pelagem mais macia e brilhante.

A alimentação natural melhora a saúde de maneira geral, dando mais disposição para o animal, além de aumentar a resistência natural a parasitas, doenças e ainda produz uma diminuição sensível em quadros de vômitos, diarreia, otites e alergias quando causados por consumo de ração seca.

“ Além de sabermos, exatamente, quais alimentos estão presentes na alimentação do pet, com relação ao pequeno risco de transmissão de parasitas, a alimentação natural cozida é considerada mais segura que a alimentação natural crua, podendo ser oferecida com segurança até mesmo a cães com a imunidade comprometida”, destaca a veterinária.

Existe uma quantidade ideal de comida para cada pet, baseada no peso, nível de atividade física (atleta, sedentário etc.), condição fisiológica (prenhez, lactação etc.), idade (filhote, adulto ou idoso) e doenças pré-existentes. Por isso, antes de iniciar uma alimentação natural é importante entrar em contato com um veterinário nutricionista para calcular a quantidade de nutrientes, vitaminas e minerais. Cabe lembrar, que cada animal tem uma necessidade calórica diferente e a adaptação de cada cão a essa mudança, varia.

Além dos alimentos permitidos, é preciso ficar atento às restrições, como por exemplo, chocolate, macadâmia, frutas cítricas, carambola, massas cruas, cebola, alho, uva, passas, sementes de maçã e pêra.  “Outros alimentos potencialmente perigosos são: alimentos açucarados, frituras, osso de ave cozido (o cozimento altera a estrutura molecular do colágeno do osso, tornando-o mais rígido ao ser partido e com isso há o risco de perfuração gastrointestinal) e o “Osso” de couro branco (esses couros frequentemente são tratados com alvejantes como a soda cáustica para agradar aos nossos olhos) ”, finaliza Flávia.






Riviera dos Cães
Tels: (11) 3641-9521/ (11) 94365-4321 ou acessar: www.rivieradoscaes.com.br




Nenhum comentário:

Postar um comentário

1.8 bilhão de pessoas continuam bebendo água potável sem proteção contra a contaminação por fezes

No âmbito do Dia Mundial do Banheiro, a Fundação We Are Water, uma iniciativa da Roca, alerta para a falta de acesso de milhões de pe...