Pesquisar este blog

quarta-feira, 12 de julho de 2017

9 Fatores Psicólogicos que Impactam no Desejo Sexual dos Homens



Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), uma vida sexual ativa e saudável é um dos pilares da qualidade de vida. Mas, para grande parte dos brasileiros, principalmente para aqueles que vivem nos grandes centros urbanos, conciliar a rotina agitada com o sexo pode ser um verdadeiro desafio. Prova disso é que 30% da população masculina brasileira tem dificuldades para ter e manter uma ereção, segundo a pesquisa Mosaico 2.0, realizada pelo Projeto Sexualidade da Universidade de Paulo (USP).

Segundo Ghina Machado, psicóloga e cofundadora da Clínica Estar, até bem pouco tempo atrás as disfunções sexuais masculinas tinham maior prevalência em homens mais velhos e as causas estavam mais relacionadas a doenças orgânicas, como diabetes e pressão alta. “Entretanto, atualmente é cada vez mais comum encontrarmos homens jovens com disfunção erétil, ejaculação precoce e falta de desejo sexual”, explica Ghina.

O que contribui para a redução o desejo sexual masculino?
 
A psicóloga explica que o estresse, a ansiedade e a depressão são os principais vilões do desejo sexual masculino. “De acordo com uma pesquisa realizada pelo ISMA-BR (International Stress Management), o Brasil é o segundo país do mundo com maior nível de estresse. Também temos uma alta prevalência de ansiedade e depressão, segundo dados recentes da OMS. Esses fatores interferem de forma significativa no desejo sexual”, explica Ghina. 

Embora grande parte das disfunções sexuais nos homens esteja ligada a causas orgânicas, cerca de 10 a 20% dos casos são de fundo psicológico, ou seja, fisicamente não há nenhuma explicação para a falta de ereção, desejo ou ejaculação precoce.

“Os problemas sexuais afetam a autoestima do homem, que passa a construir um conceito distorcido sobre si. Isso interfere nas relações afetivas, familiares e sociais levando a conflitos que agravam o distúrbio sexual e afetam a qualidade de vida”, diz a psicóloga.

Veja agora as 9 fatores psicológicos que explicam a disfunção sexual masculina:
  1. Estresse: Quando o estresse se torna crônico, há elevação dos níveis do cortisol e diminuição da produção da testosterona, o principal hormônio sexual masculino. O estresse também leva ao cansaço e à falta de motivação, que interferem na disposição para ter uma relação sexual.
  2. Ansiedade: A ansiedade está diretamente relacionada à ejaculação precoce. Porém, dados recentes mostram que quase metade dos homens com disfunção erétil também apresenta a ejaculação precoce. A explicação é que para não perder a ereção, estes homens apressam de forma intencional a relação sexual.
  3. Depressão: A depressão é um transtorno psiquiátrico que também apresenta causas orgânicas, reduz a libido, fazendo com que o indivíduo fique menos interessado por sexo.
  4. Baixa autoestima: Homens que não se valorizam, são inseguros, não se permitem errar, têm dúvidas sobre sua capacidade e que se sentem inferiores podem ter mais chance de desenvolver uma disfunção sexual.
  5. Timidez: Em geral, pessoas muito tímidas tendem a ter uma retração do impulso sexual, e podem ter mais dificuldade para expressar as emoções e para interagir. É comum buscarem se satisfizer sozinhas por meio da masturbação ou ainda de hobbies.
  6. Relação com parceira (o): Os problemas conjugais não resolvidos interferem no desejo sexual. Além disso, a sexualidade masculina entra em crise se a (o) parceira (o) apresentar queda do desejo sexual, não conseguir atingir o orgasmo, não participar das tentativas sexuais ou ainda desqualificar o desempenho sexual do homem. Por isso, a incapacidade de combinar a sexualidade com a afetividade são fatores que podem manter ou causar a disfunção sexual. 
  7. Conflitos na identidade sexual: É muito comum que o homem com dúvidas sobre sua orientação sexual apresente alguma disfunção sexual.
  8. Crenças religiosas e familiares: A educação recebida na infância e na adolescência tem um forte impacto do desenvolvimento da sexualidade. Se a educação sexual foi repressora pode afetar o desempenho sexual, fazendo com o que o homem crie inibições e tabus em torno do ato sexual.
  9. Crenças em mitos sexuais. “O homem sempre está interessado e pronto para o sexo”; “O sexo equivale à penetração”; “Sexo requer ereção”. Essas são algumas crenças que podem levar a disfunções sexuais. Mesmo que de forma isolada esse homem passe por um episódio de falta de ereção, por exemplo, pode desencadear crenças negativas sobre sua própria sexualidade. Essas crenças não só aumentam a chance de ter uma disfunção sexual, como desempenham papel fundamental na manutenção do distúrbio.
“Independente do fator emocional envolvido, o importante é que o homem procure ajuda. Quando há causas orgânicas é preciso procurar um urologista para tratá-las. Porém, como vimos, na maioria dos casos os fatores são mistos e o acompanhamento psicoterápico pode ser fundamental para o tratamento das disfunções sexuais masculinas”, conclui Ghina.





Nenhum comentário:

Postar um comentário

1.8 bilhão de pessoas continuam bebendo água potável sem proteção contra a contaminação por fezes

No âmbito do Dia Mundial do Banheiro, a Fundação We Are Water, uma iniciativa da Roca, alerta para a falta de acesso de milhões de pe...