Pesquisar Blog Jornal da Mulher

segunda-feira, 20 de fevereiro de 2017

Tudo pode no Carnaval?



Psicóloga alerta que comportamento totalmente permissivo pode trazer consequências danosas aos jovens 


O carnaval, festa mais popular do Brasil, é sinônimo de extravasar, “soltar a franga” e deixar de lado alguns tabus. Está relacionado também à liberdade de expressão (para alguns libertinagem), e visto como uma forma de apelo sexual, onde se pode fazer aquilo que se tem vontade, permitir-se e seguir a “onda”.

A psicóloga Lizandra Arita fala sobre esse “mundo imaginário de liberação” e até que ponto podemos considerar o comportamento festivo como algo normal e sadio. “É uma data que tudo pode. No entanto, é preciso considerar que a comemoração passa, e após isso, as consequências podem ser desastrosas”, adverte.

“Quando se vive numa sociedade onde há uma educação familiar repreensiva, os mais jovens enxergam essa data como o momento ideal para extravasar. É comum expressar tudo o que seria repreendido pelos pais e pela sociedade, visto que a conduta é coletiva e não individual e as chances de receber críticas são mínimas”, pontua.


Desejo sexual aflorado

Também muito associado ao sexo e ao abuso de bebidas alcoólicas, a psicóloga cita a neurociência que determina que o homem, por sua vez, possui o instinto ligado ao olhar, se interessa pelas curvas femininas que, neste caso, estão mais expostas. Nas mulheres, o cortéx órbitofrontal lateral esquerdo, responsável pelo controle dos desejos, nessas situações, é desligado, permitindo a quebra de pudores e entrega aos instintos sexuais.

Ao se deparar com um ambiente permissivo, onde “tudo é liberado”, pessoas que tiveram uma infância regrada à uma educação rigorosa ou saíram de relacionamentos longos ou sufocantes, podem encontrar no carnaval a oportunidade de vivenciarem tudo o que estava represado e causava frustração. “É também a exposição da criança interior que sempre existiu, mas que estava incubada. Num cenário de permissividade, existe espaço também para atitudes impulsivas, paixões repentinas, e muitas vezes, consequências graves”, conclui.




Lizandra Arita - Graduada em Psicologia pela Universidade Bandeirante de São Paulo, Lizandra Arita tem experiência em Psicologia Clínica e Institucional pelo Hospital Vera Cruz e atua desde 1998 em treinamentos de autodesenvolvimento. Realiza Programação Neuro Linguística, Hipnose e Autohipnose, Rebirthing, Psicodinâmicas, Gerenciamento de Emoções e Conflitos e atua, principalmente, em casos de depressão, ansiedade, processos emocionais ou comportamentais, problemas de relacionamento, fobias, pânico e transtornos obsessivos compulsivos.
Lizandra Arita Psicologia
Facebook: @lizandraarita.psicologia
Instagram: @lizandraarita
Youtube: Lizandra Arita Psicologia
Snapchat: lizandraarita





Pesquisa - Música melhora a performance sexual para mais de 90% dos brasileiros



Carnaval chegando e aquele clima de paquera regada a muita música já está por todos os cantos. 

Pensando nisso, a Deezer fez uma pesquisa com 2000 brasileiros para saber o quanto a música influencia no sexo e o resultado foram dados bem legais sobre o perfil de comportamento nacional.

A pesquisa revela que 90% dos brasileiros acreditam que a música melhora a performance sexual. Fizemos a mesma pergunta em mais quatro países, e o Brasil fica no topo da lista, seguido dos Estados Unidos (73%), Alemanha (64%), França (61%) e Reino Unido (55%).

Seguem alguns dados sobre os brasileiros abaixo:

- Para maioria (52%) música é o primeiro passo para criar um clima antes do sexo, seguido por vestir uma lingerie especial (37%), beber vinho (37%), diminuir as luzes (36%) e se despir (36%)

- Para quase 63% dos respondentes música é obrigatório na hora do sexo. 

- Pop é o gênero mais escolhido para o sexo (35%), seguido por Rock (23%) e Sertanejo (21%). Esse último gênero divide opiniões, pois fica também na terceira posição entre os ritmos menos escolhidos para o sexo, com 25%. Perde apenas para Funk, 58%. Heavy Metal e Rap também ficam em baixa quando o assunto é cliar um clima. 

- Rihanna, Beyonce e Bruno Mars ficam no top da lista de vozes mais atraentes para a hora H, com 25,3%, 21,95% e 18,15%. A dupla Jorge & Mateus que foi a mais ouvida em 2016 na Deezer, ficou em 5º lugar, com 13,8%.

- Mc Bin Laden teve maior rejeição quando o assunto é clima para o sexo, com 48%, seguido de Justin Bieber, que emplacou a música "Sorry" como a mais ouvida na Deezer em 2016 e Mc Livinho. 

- 37% de todos os respondentes disse ter uma música em especial para entrar no clima, mas a maioria afirma não ter uma "música tema". 

- Para 92% escutar música durante o sexo melhora toda a experiência do momento. Para 40% faz durar mais, 30% diz ficar mais excitado e 27% simplesmente diz que faz o sexo ficar melhor. 

- O ritmo da música é o fator decisivo para criar o clima para 60%, 45% afirma ser a melodia, 33% a batida, e para 32% o tom de voz. 

- Para 61% o gosto musical do parceiro pode influenciar positiva ou negativamente no relacionamento. 





CARNAVAL COM SAÚDE - Nutricionista dá dicas de como evitar ressaca no Carnaval comendo bem e se hidratando



Especialista da Consultoria Fitness Waltão abreu orienta sobre a importância da alimentação antes e depois da folia


O Carnaval está bem próximo e é sempre bom se preparar para a maratona de folia. A nutricionista Tássia Vivian, representante da Consultoria Fitness Waltão Abreu - responsável pelo treinamento e alimentação de diversos famosos brasileiros, listou algumas ações simples, que podemos ter com a alimentação  e hidratação para não "queimarmos a largada". Confira as dicas: 


Evitando a ressaca

- A escolha certa dos alimentos garante mais energia, disposição e pode até amenizar os sintomas da ressaca no dia seguinte. A ingestão de água é determinante para manter o organismo bem hidratado. A bebida alcoólica causa desidratação, portanto devemos sempre consumir água junto com o álcool. A ingestão inadequada de água é uma das principais causas da ressaca. Hidrate-se antes, durante e depois a ingestão de bebida alcoólica.


E se a ressaca vier mesmo assim? 

- Ao contrário do conhecimento popular, o melhor jeito de amenizar a ressaca não é continuar bebendo. A alimentação pode ser uma forte aliada após a folia, já que alguns alimentos podem aliviar os sintomas da ressaca. 


O que comer para aguentar as longas horas de festas?

- É importante se alimentar bem antes dos blocos para garantir energia suficiente durante a festa, e não ficar em jejum durante as horas de folia. Invista em lanches com recheios proteicos, como ovos, atum ou frango desfiado, vitaminas de frutas com aveia e barras proteicas de boa qualidade. 


No dia seguinte... 

- A alimentação após um dia de folia deve ser leve, de forma a não sobrecarregar ainda mais o organismo. Evite queijos amarelos e frituras e não exagere nos remédios. Repouse com a luz apagada para garantir o bom descanso. Consuma bastante água também no dia seguinte. Invista em água de coco, sucos naturais com gengibre (sem açúcar), legumes e verduras, cereais integrais, ovo, oleaginosas, abacate e chás, como de hortelã e boldo.





Tássia Ap. Berner Vivian - nutricionista integrante da Consultoria Fitness Waltão Abreu, que fica na clínica Benessere, em Moema, São Paulo.