Pesquisar Blog Jornal da Mulher

terça-feira, 27 de setembro de 2016

Cartas de baralho personalizadas auxiliam no tratamento de hemofilia



  Federação Brasileira de Hemofilia apoia a iniciativa que, de maneira educativa, explica como o distúrbio genético afeta o organismo quando ocorrem sangramentos



Um jogo de baralho foi elaborado para auxiliar crianças e adultos com hemofilia. Titulado de IN-HEMOAÇÃO - Brincando e Aprendendo Sobre Hemofilia, Inibidores e Tratamentos, as cartas ensinam de maneira simples e lúdica sobre temas complexos, como a coagulação, os inibidores e efeitos, atividades e tratamentos diversos, além da profilaxia - que previne os sangramentos, que se ocorrerem se não tratados imediatamente, podem causar sequelas graves. A Federação Brasileira de Hemofilia (FBH), entidade que auxilia pessoas com esse distúrbio genético, apoia a iniciativa, que afeta a coagulação do sangue e atinge 20 mil pessoas no Brasil. 

“O baralho auxilia diariamente enfermeiros, médicos ou psicólogos que lidam ou cuidam de pacientes com hemofilia, que explicam com imagens para crianças e também adultos o que acontece no corpo dos portadores de hemofilia ou situações de sangramento. Quando a pessoa tem um autoconhecimento sobre o que ocorre com seu próprio organismo, tem maior aceitação do tratamento, principalmente o preventivo e domiciliar, que inibe as hemorragias por meio de infusões que são realizadas   de duas a três vezes por semana”, explica a presidente da FBH, Mariana Battazza Freire. 

A psicóloga Frederica Cassis, criadora do IN-HEMOAÇÃO, que é composto por dois jogos de baralho e um manual explicativo que descreve cada carta, cada carta, ressalta que os profissionais podem brincar com o jogo de memória, ou "/e explicar conceitos usando algumas das cartas do baralho.

Assim desde cedo as crianças se familiarizam sobre o conceito do que é ter hemofilia, a importância da profilaxia e da imunotolerância bem como os demais aspectos primordiais para o sucesso do tratamento. “Toda a equipe multidisciplinar pode fazer uso das cartas, que têm uma sequência lógica. Inclusive, pais e os jovens pacientes também poderão aprender brincando em família”, informa Frederica. 

Para receber o IN-HEMOAÇÃO basta procurar um Hemocentro ou Centro de Tratamento de Hemofilia (CTH), vale a pena, pois educa divertindo.


Saiba Mais:
A hemofilia é uma disfunção crônica, genética, não contagiosa, sendo que 1/3 dos casos ocorrem por mutação genética e 2/3 por hereditariedade.Existem dois tipos, que podem ser classificados entre leve, moderada e grave. A hemofilia A é a mais comum e representa 80% dos casos, ela ocorre devido deficiência do Fator VIII (FVIII) de coagulação no sangue. Já a hemofilia B acontece pela deficiência do Fator IX (FIX).




Federação Brasileira de Hemofilia:



Nenhum comentário:

Postar um comentário