Pesquisar Blog Jornal da Mulher

terça-feira, 31 de maio de 2016

18 dicas do que não fazer no Dia dos Namorados




A sexóloga Lelah Monteiro dá sugestões de como surpreender na data

1 - Não vá a restaurantes. Eles estarão lotados e com filas de espera. Prefira um jantarzinho íntimo em casa somente os dois e aproveitem todos os momentos a sós, que poderão ter inovações na forma de degustar este menu.

Lembre-se: comece com uma refeição charmosa, mas leve, queremos que este ato seja o primeiro desta noite longa de amor.  

2-Ouse no vestiário, Dia dos Namorados também poderá ser um dia para usar aquele modelito ousado!

3-Decore seu quarto ou altere a luz do abajur, existem lampadas coloridas, algumas que exalam aromas, seja criativa!

4-Gel íntimo, calda de chocolate, chantili, já pensou em comer esta sobremesa de uma forma inusitada?

5-Não aprecia tanto o sexo oral, então este é o momento, existem preservativos de todos os sabores e texturas, experimente!

6- Motéis no Dia dos Namorados também não são uma boa pedida. Evitem filas. Que tal aproveitar que o dia 12 de junho para fazer uma viagem romântica no final de semana, somente o casal para a praia ou campo, o que acha? Ou aquele hotel que tem piano bar, teatro ou depois do jantar poderão pernoitar!

7-Chocolate, flores ou aquela almofadinha de coração estão proibidos nesse Dia dos Namorados. Presenteie sua namorada (o) com uma noite inesquecível em uma suíte máster de um hotel 5 estrelas com tudo o que tem direito e muito mais.

8- Mas se o seu fetiche é aquela suíte do motel reserve e quem sabe você consegue ir num horário diferente, está valendo!

9- Nada de ir direto ao sexo. Caprichem nas preliminares, abusem dos brinquedinhos e se entreguem ao prazer.

10– Comemorar o Dia dos Namorados com a família, para os casados e com filhos, não é lá um programa muito romântico. Então, deixe os filhos com os avós e façam um programa a sós, com direito a vinho e muita intimidade.

11 – Ao invés de presenteá-la com flores, que tal comprar um óleo sensorial e massageá-la, acompanhado de uma provocante lingerie.

12 – Para os casados, nada de ficarem em casa como fazem todos os dias. Abram um champanhe e dancem ao som da música preferida de vocês, peça a ele que faça um stripe para você, depois torture-o tirando cada peça muito lentamente,a ultima peça a ser tirada deverá ser seu salto.

13– Cineminha? Não. Para esquentar o clima coloque um filme pornô e assistam juntos. Caso um dos dois tenha vergonha, a sugestão é tomar uns golinhos de vinho ou champanhe para relaxar.

14 – Nada de fazer sexo como sempre fazem. Inovem. Aprendam alguma posição diferente e experimentem nesta data.

15-Este é o dia de reconciliar e focar no seu prazer, permanece com sua mente, seus instintos ali, faça com vontade e sinalize como você quer, deixe a vergonha de lado.

16-Lingeries, meia luz, espumante e outras peças de sedução são para serem usadas com segurança, lembre que esta noite é para você mulher se sentir sexual, jogue fora toda repressão e os sabotadores de plantão.

17-Confie em você, ele não estará olhando para suas imperfeições, vou dizer que você não as têm, não nesta noite! 

18 – Passar a noite sem fazer sexo. Nunca! Aproveitem a data para namorar e descobrirem outros prazeres e segredos a dois.

Cuidado: alguns remédios para pressão alta oferecem risco à visão




De acordo com estudo publicado no jornal da American Academy of Ophthalmology, pode haver uma conexão entre a ingestão de vasodilatadores e o desenvolvimento de degeneração macular relacionada à idade (DMRI) – que é uma das causas mais comuns da perda de visão na terceira idade. Além do fator envelhecimento, outras causas para a doença incluem hereditariedade e fumo.

Para esclarecer melhor a relação entre esse tipo de degeneração macular e os medicamentos usados para controlar a pressão sanguínea, pesquisadores da Universidade de Wisconsin, nos Estados Unidos, conduziram um vasto estudo entre 1988 e 2013, analisando cinco mil moradores com idade entre 43 e 86 anos de uma determinada localidade (Beaver Dam). Como resultado, vasodilatadores como Apresolina e Loniten foram associados a um risco 72% maior de desenvolver DMRI em estágio inicial – contra apenas 8,2% daqueles que não estavam tomando nenhum desses medicamentos.

Enquanto esse estudo estima os riscos de uma associação entre remédios para baixar a pressão e o desenvolvimento de DMRI em vários estágios, os pesquisadores alertam que o objetivo não é analisar os efeitos dessas medicações nem as condições que levaram os pacientes a tomar esses medicamentos. De acordo com o médico Ronald Klein, coordenador do estudo, o objetivo não é mudar a medicação de ninguém. “Mais pesquisas são necessárias para determinar as causas desse aumento no risco de desenvolver degeneração macular”.

De acordo com Renato Neves, oftalmologista e diretor-presidente do Eye Care Hospital de Olhos, em São Paulo, na última década houve grande avanço no tratamento de doenças vasculares da retina, principalmente no que se refere à degeneração macular relacionada à idade (DMRI). Entre os tratamentos mais recentes em Oftalmologia estão as ‘injeções intravítreas de antiangiogênicos’ – que já receberam aprovação da Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária). “O principal papel dos antiangiogênicos é a interrupção da perda de visão. Embora nem todo paciente possa recuperar a visão perdida, as injeções intravítreas impedem a progressão da doença, evitando que a pessoa acabe ficando cega. Com anestesia local e pupilas dilatadas, a injeção é aplicada diretamente no vítreo, camada gelatinosa localizada entre a retina e o cristalino”.

Para alcançar resultados duradouros, o especialista afirma que é fundamental repetir o procedimento em intervalos regulares. O paciente também deve fazer a sua parte, usando colírios antibióticos durante o tempo recomendado pelo oftalmologista – em média, trinta dias. “Ensaios clínicos demonstram que a aplicação de antiangiogênicos melhora em até 34% a visão central e estabiliza a visão em 90% dos casos. Por isso é considerado um método altamente eficaz”.

A efetividade das injeções de antiangiogênicos foi primeiramente percebida no tratamento da DMRI do tipo exsudativo (com secreção). A doença atinge 30% da população com mais de 75 anos e está estreitamente associada a fatores como predisposição genética, hipertensão, exposição aos raios ultravioleta, obesidade, consumo excessivo de gorduras vegetais e dietas pobres em frutas, verduras e zinco. Fumantes ativos e passivos também estão mais sujeitos a manifestar essa alteração. Diante de importantes resultados, o uso das injeções intravítreas se estendeu para o tratamento de outras doenças vasculares da retina, como a retinopatia diabética. 



Prof. Dr. Renato Augusto Neves - médico oftalmologista e diretor-presidente do Eye Care Hospital de Olhos, em São Paulo/SP – www.eyecare.com.br