Pesquisar Blog Jornal da Mulher

quinta-feira, 30 de abril de 2015

Lavar as mãos é a principal medida para evitar infecções hospitalares como a Sepse, a maior causa de mortes em UTIs




bioMérieux apoia campanha nacional de Prevenção de Infecção em UTIs,
que visa conscientizar profissionais em todo o País
 “Lavar as mãos antes e depois de tocar o paciente.” O que pode parecer uma ação simples e óbvia, tem sido em muitos casos negligenciada, o que impacta de forma expressiva na saúde de pacientes internados em Unidades de Terapia Intensiva.
Um dos mais sérios reflexos desse comportamento é a alta taxa de incidência da Sepse, também conhecida como infecção generalizada ou infecção hospitalar, que é a repercussão ou manifestação sistêmica de uma infecção, seja pela própria resposta inflamatória do organismo ou pela disseminação da infecção através do sangue, atingindo diferentes órgãos.
A Sepse já é considerada um dos maiores problemas de saúde em nosso País e é responsável por 25% da ocupação de leitos em unidades de terapia intensiva no Brasil. Atualmente é a principal causa de morte nas UTIs, chegando a 70% dos casos registrados, enquanto a média mundial está em torno de 30 a 40%, segundo o ILAS (Instituto Latino Americano da Sepse).
Um dos obstáculos para o controle da doença é a falta de conscientização dos profissionais de saúde a respeito dos fatores que contribuem para o desenvolvimento de infecções em UTIs.
Por conta disso, a bioMérieux, empresa francesa líder mundial em diagnóstico in vitro e que dispõe de um completo rol de soluções para diagnóstico e controle da Sepse, patrocina a Campanha Nacional de Prevenção de Infecção em UTI, da Associação de Medicina Intensiva Brasileira (AMIB).
O objetivo da campanha é divulgar os “7 pontos chave da Prevenção de Infecção na UTI” e levar conscientização e informação a 2.350 UTIs brasileiras, abordando médicos, profissionais de UTIs, familiares e visitantes.
São eles: 1) Higienização das mãos; 2) Uso racional de antimicrobianos; 3) Uso adequado das precauções de contato; 4) Rastreio e medidas de isolamento dos casos; 5) Vigilância Epidemiológica; 6) Limpeza do ambiente; e 7) Educação continuada dos profissionais de saúde.
“A rápida detecção e identificação de microorganismos é de crucial importância para o tratamento dos pacientes, sobretudo nas infecções graves, como as da corrente sanguínea, que podem evoluir para uma Sepse grave, pois possibilita a introdução precoce da antibioticoterapia adequada. Isso ajuda ainda a reduzir o tempo de internação, os custos e a própria taxa de mortalidade em UTIs”, afirma Wesley Schiavo, Gerente de Produto Microbiologia da bioMérieux.
A campanha está em linha com o Dia Mundial de Higienização das Mãos, que será lembrado em 5 de Maio de 2015.

Soluções completas – Com sua expertise, a bioMérieux tornou-se um completo provedor de soluções voltadas ao diagnóstico e controle da Sepse, auxiliando hospitais, laboratórios e médicos na tomada de decisões, visto que a infecção generalizada pode levar à morte.
Um produto que auxilia na gestão de pacientes com Sepse e está disponível para comercialização no Brasil é o Biomarcador de Procalcitonina (PCT), no Sistema VIDAS®. Na Sepse, o aumento dos níveis de PCT pode ser observado de 3 a 6 horas após o início da infecção. Em infecções virais, doenças inflamatórias, doenças crônicas ou processos autoimunes, os níveis da PCT são baixos, permitindo, assim, o diagnóstico diferencial entre a Sepse e as diversas condições clínicas. O teste para detectar a Procalcitonina no Sistema VIDAS® é realizado em apenas 20 minutos, sendo possível obter os primeiros resultados que são decisivos para que o paciente com Sepse receba o tratamento adequado nesse curto período de tempo.
Outra tecnologia bioMérieux é o sistema FilmArray, capaz, em apenas uma hora, de detectar microrganismos por meio de painéis. Um dos painéis disponíveis para uso no equipamento é o de Sepse, que detecta 24 microrganismos – fungos e bactérias –, além de mecanismos de resistência a antibióticos como, por exemplo, a superbactéria presente em hospitais. O equipamento já teve publicado o pedido de registro na ANVISA e para os painéis isso deve ocorrer ainda no primeiro semestre de 2015.
Mais um exemplo de produto voltado ao diagnóstico de doenças graves, como a Sepse, é o VIRTUO™, um inovador sistema de detecção automatizado de hemoculturas, que ajudará os laboratórios a fornecer resultados até quatro vezes mais rápido que os sistemas convencionais, o que impacta positivamente no cuidado aos pacientes. Trata-se de uma evolução do BacT/ALERT® e do BacT/ALERT® 3D, também da bioMérieux, que já são utilizados no Brasil. O novo equipamento está em processo de registro na Anvisa e a previsão é estar disponível para comercialização ainda no segundo semestre de 2015.

Nenhum comentário:

Postar um comentário