Pesquisar este blog

quinta-feira, 30 de abril de 2015

1º de Maio




Excesso de ruído no ambiente de trabalho pode
 causar perda de audição
Muitas portas têm se fechado a candidatos considerados inaptos a uma vaga de trabalho em função de alterações na audição. Saiba como se proteger!
Conviver com o barulho é inevitável em muitas profissões. Operadores de Call Center, trabalhadores de gráfica, músicos, DJs, operadores de áudio em emissoras de rádio e TV, operários de fábrica, funcionários que atuam nas pistas de aeroportos, operadores de britadeiras, entre muitos outros, estão expostos a ruídos intensos. Prevenir a perda auditiva, porém, é possível com o uso do protetores de ouvido que, em muitos casos, acaba sendo um acessório inseparável.
Profissionais que atuam com qualquer tipo de exposição a ruídos estão sujeitos a desenvolver problemas na audição. "Nós não imaginamos, mas em um ambiente normal de trabalho, como um escritório, o som pode chegar a até 70, 80 dB. Em muitas atividades, sejam elas de trabalho ou mesmo lazer, há uma grande exposição ao ruído, de forma alternada ou contínua. Isso faz com que o índice dos que têm perda auditiva induzida por ruído (PAIR) esteja crescendo”, explica a fonoaudióloga Isabela Carvalho, da Telex Soluções Auditivas. 
A exposição continua a sons acima de 85 decibéis por mais de oito horas pode levar à perda de audição. Tanto que, para algumas atividades profissionais, a legislação determina o uso de EPI -Equipamento de Proteção Individual. Acima de 120 decibéis (som de uma explosão, por exemplo) o barulho pode ocasionar trauma acústico.
“O problema é que a lesão auditiva não acontece de um dia para o outro, ela é cumulativa. Uma hora ouvindo música acima de 100 decibéis hoje (pior ainda se for com fones de ouvido), somada a outros hábitos e ambientes barulhentos, pode, com o tempo, dificultar a compreensão durante a conversa”, explica a fonoaudióloga. “Para preservar a audição, é preciso estar atento a intensidade do volume do som que ouvimos e a duração em que isso acontece”, recomenda.
Por causa do barulho intenso do trânsito, pessoas que trabalham na rua também podem apresentar perda auditiva induzida por ruído. São policiais, ambulantes, motoboys e guardas de trânsito, entre outros. Dentro de um ambiente de trabalho, a preocupação também deve ser grande. Trabalhadores de indústrias, por exemplo, têm que ser submetidos a exames de audiometria periodicamente e, quando constatada alguma alteração, serão solicitadas outras avaliações mais detalhadas. Isso pode ocasionar, a longo prazo, afastamento da função ou remanejamento para outra área. Já os músicos que trabalham frequentemente em shows, costumam estar expostos a sons de maior intensidade que podem alcançar 130 decibéis, podendo ocasionar, em alguns casos, danos auditivos 
Especialistas lembram que esse problema é típico do período pós-Revolução Industrial. Antes da industrialização, só depois dos 50 anos, as pessoas costumavam apresentar algum grau de surdez. Hoje, o problema aparece a partir de 35 anos nas grandes cidades.
Muitas pessoas vêm procurando a Telex Soluções Auditivas devido a problemas decorrentes da profissão que exercem, como relata a fonoaudióloga Isabela Carvalho: "São comuns os casos de pessoas que desencadearam uma perda auditiva por exposição ao ruído intenso ou por trauma acústico. Atualmente, temos recebido também em nossas lojas pessoas que trabalham com música, que já possuem perda auditiva, e também aquelas que procuram alguma solução para prevenir um possível dano", comenta.
A fonoaudióloga recomenda o uso frequente de protetores auriculares. "Eles reduzem o volume excessivo, mas quem usa não deixa de ouvir o som ambiente", explica. Os protetores da Telex - ou atenuadores, como são chamados - são feitos em acrílico e moldados de acordo com a anatomia do ouvido de cada pessoa. Existem dois tipos: os que diminuem o barulho ambiente em 15 decibéis e os que reduzem o ruído em 25 decibéis. Além desses, os protetores feitos em silicone para impedir a entrada de água nos ouvidos também são usados por muitas pessoas para diminuir o barulho, já que eles também promovem a vedação entre os ouvidos e o ambiente.
A realidade é que muitas portas têm se fechado a candidatos considerados inaptos a uma vaga de trabalho em função de alterações na audição. Em nosso país, a legislação exige que o trabalhador seja submetido a exames admissionais e, entre esses exames, os resultados da audiometria tonal liminar acabam sendo usados, ao contrário de seu objetivo, para selecionar o trabalhador no momento da admissão. O resultado é a existência de um contingente de trabalhadores com perdas auditivas, dos mais diversos graus, que encontram dificuldades de reingressar em um novo emprego.
"A perda auditiva causada por ruído é muito mais comum do que se pensa e, nos dias agitados de hoje,  tende a aumentar. O que a fonoaudiologia e a otorrinolaringologia procuram fazer é informar a população de que a exposição a sons de alta intensidade por um período prolongado, junto com a predisposição, pode levar a uma perda auditiva irreversível. É preciso aprender a se desligar de tudo por alguns minutos, ao longo do dia, e procurar locais de silêncio completo, além de dormir sem interferência de ruídos", conclui a fonoaudióloga da Telex.
De acordo com o Censo do IBGE de 2010, cerca de 9,7 milhões de brasileiros declararam ter alguma deficiência auditiva, o que equivale a 5,1% da população brasileira. Já segundo a Sociedade Brasileira de Otologia (SBO), cerca de 15% a 20% da população no país têm zumbido, sintoma que indica perda auditiva - e destes, apenas 15% procuram ajuda médica. A entidade informa ainda que cerca de 30% a 35% das perdas de audição são decorrentes da exposição a sons intensos, sejam eles em ambientes profissional ou de lazer.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Como utilizar a Black Friday a favor do seu negócio

O Brasil não está em um de seus melhores momentos e, ultimamente, vive uma insegurança política que vem desaquecendo a economia. No entan...