Pesquisar Blog Jornal da Mulher

quarta-feira, 28 de maio de 2014


SBM lança movimento #Mamografiaapartirdos40

A Sociedade Brasileira de Mastologia (SBM) lança esta semana o movimento #mamografiaapartirdos40 – Direito e dever de toda mulher, uma ação da campanha Eu amo meus peitos, criada pela entidade para exaltar os cuidados com a saúde da mama e disseminar informações sobre a prevenção do câncer. A ideia do movimento é enfatizar a importância para as mulheres de realizar, anualmente, a mamografia a partir dos 40 anos, o que para os mastologistas é primordial para a saúde da mulher. Essa luta, inclusive, vai de encontro ao Ministério da Saúde que, através da Portaria 1.253/2013, restringiu o repasse de verbas da União aos municípios para mamografias em pacientes na idade entre os 50 e 69 anos, além da mamografia unilateral – exame realizado como forma de rastreamento em apenas uma das mamas.

De acordo com o presidente da SBM, Dr. Ruffo de Freitas Júnior, o câncer de mama é o segundo tipo mais comum em número de casos no Brasil, só perdendo para o de pele. Somente este ano, o câncer de mama terá cerca de 60 mil novos casos, um aumento de 15% em comparação ao ano passado, segundo o Governo Federal. Nesse contexto, a SBM prega a realização da mamografia a partir dos 40 anos, já que alguns estudos apontam a redução da mortalidade do câncer de mama em até 35%, além de, através do diagnóstico precoce, as chances de curar poderem chegar a 95% dos casos. “Tanto a experiência do consultório quanto os inúmeros estudos e acompanhamentos realizados pelos principais mastologistas do Brasil e do exterior comprovam que a idade ideal para o início do trabalho preventivo, via mamografia, é 40 anos. Vários são os fatores que contribuem para essa conclusão, um deles o próprio estilo de vida estressante atual, alimentação, entre outros, que contribuem para a manifestação da doença cada vez mais cedo”, afirma o presidente.

O mastologista faz um alerta para que os médicos continuem solicitando a mamografia de rastreamento para pacientes a partir dos 40 anos e não aceitem a chamada mamografia unilateral. “Como especialistas, temos a responsabilidade de educar e informar à sociedade sobre os procedimentos mais corretos e seguros em prol da saúde preventiva. E a mamografia é um instrumento de extrema importância, tendo reflexo na redução de cirurgias mutiladoras (mastectomias), diminuição de sofrimento e melhor qualidade de vida da paciente após o câncer”, conclui.

O movimento #mamografiaapartirdos40 pretende mobilizar o maior número de mulheres possível. Para aderir a causa, basta que as pessoas publiquem em suas redes uma foto com a plaquinha aderindo ao movimento #mamografiaapartirdos40, compartilhando com os amigos e contribuindo com a disseminação da informação.

Dr. Ruffo de Freitas Jr.

Tabagismo pode causar doenças oculares

 31 de maio - Dia Mundial sem Tabaco

O tabagismo é responsável por 200 mil mortes ao ano no Brasil. O vício é ainda causador de alguns problemas oculares, como catarata, glaucoma, doença de Graves, degeneração macular e queda de pálpebra. Porém, segundo a Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios, cerca de 20% da população brasileira com 25 anos ou mais ainda é fumante.

Para esclarecer a população sobre os danos ocasionados pelo tabagismo, o especialista Pedro Antônio Nogueira Filho, da Cerpo Oftalmologia, fala sobre as principais doenças oculares resultantes dessa prática. Doutor Pedro Antônio também comenta quais tratamentos e cirurgias podem ser realizadas para diminuir os sintomas de cada doença.

 

Queda da pálpebra

A queda da pálpebra ocasiona não só um problema estético, mas também é responsável pela diminuição do campo visual, ardência e lacrimejamento constante. Para corrigir o problema, o ideal é realizar a cirurgia conhecida como blefaroplastia. “A cirurgia estética das pálpebras elimina as bolsas sob os olhos, o excesso e a flacidez da pele dessa região, alcançando resultados bastante expressivos. É uma importante aliada na conquista de uma aparência mais jovem e descansada”, diz Pedro Antônio.

 

Catarata

A catarata é uma doença caracterizada pela opacificação do cristalino, consequência do tabagismo. “Isso ocorre, pois os produtos químicos que compõem o cigarro atingem não só de forma sistêmica, mas também a superfície dos olhos durante o consumo. As altas temperaturas também contribuem para os danos do metabolismo ocular”, afirma Pedro Antônio.

Os sintomas da doença são visão turva e embaçada e, em casos extremos, cegueira reversível. A única forma de combater o seu avanço, uma vez que já fora contraída, é a cirurgia para a remoção do cristalino e a colocação de uma lente intraocular artificial.

 

Glaucoma

É uma doença causada pelo aumento de pressão ocular interna e dano causado ao nervo óptico devido ao uso do cigarro. Uma das formas de tratamento é o uso de colírios específicos. No entanto, há um procedimento que consiste em tratar algumas formas da doença por meio de laser, a Trabeculoplastiva Seletiva a Laser (TSL), trazida pioneiramente ao Brasil pela Cerpo Oftalmologia.

 “Assim como os colírios, a TSL pode reduzir a pressão intraocular, principal causa do Glaucoma. Quando muito elevada, ela provoca lesões no nervo óptico e traz comprometimento visual e até cegueira. A diferença é que com a tecnologia a laser não existem os efeitos colaterais comuns no uso de colírios como: irritação, inflamação, escurecimento das pálpebras e alergia dos olhos. Além disso, muitos pacientes esquecem de usar os colírios todos os dias como é recomendado, o que prejudica o tratamento”, explica o especialista.

 

Degeneração Macular

Comum entre pessoas com mais de 50 anos, a Degeneração Macular Relacionada à Idade (DMRI) ocorre devido a uma lesão na mácula, área que permite enxergar detalhes finos com clareza. “A gravidade da doença está de acordo com o vício, ou seja, se o número de cigarros consumidoao longo dos anos for pequeno, os danos serão menores. Mas, de qualquer forma, o paciente será afetado”, diz Pedro Antônio Nogueira Filho.

A doença pode ser controlada com uma combinação de vitaminas, antioxidantes e zinco, mas apenas se estiver em estágio inicial. Esse procedimento não irá reverter o processo, apenas amenizá-lo. Outras formas de tratamentos recomendadas são a cirurgia a laser (terapia fotodinâmica) e alguns medicamentos que impedem a formação de novos vasos sanguíneos no olho.

 

Doença de Graves

Alteração na glândula tireoide, que resulta no inchaço dos músculos ao redor do globo ocular, deixando-os com aparência de olhos saltados. Os sintomas são dificuldades para piscar, fechar os olhos e até a perda da visão.

A Doença de Graves é tratada com medicamentos para o hipertiroidismo, radiação ou cirurgia, principalmente quando é necessário que o globo ocular volte à posição normal. Em casos de irritação, recomenda-se tapar os olhos à noite, para que os olhos não sequem,  uso de óculos escuros e colírios.


Cerpo Oftalmologia -
www.cerpo.com.br/



Movimento “Não hesite, apite!”, que promove Apitação contra o assédio sexual às mulheres no transporte público de São Paulo, intensifica ações e amplia raio de abrangência

Dia da Apitação acontecerá durante toda essa semana em regiões distintas da cidade, inclusive durante a Copa do Mundo

O movimento “Não hesite, apite!, organizado pela Casa de Isabel e pela ASAS, que distribui apitos e orientações para as mulheres se defenderem contra o risco de assédio sexual no transporte público de São Paulo, realizará de 26 de maio à 01 de junho, os já populares “Dia de Apitação” quatro vezes ao dia e em diferentes regiões da cidade.

 “A mídia parou de abordar o tema com a mesma intensidade de antes, mas o assédio sexual contra as mulheres segue acontecendo de distintas formas no transporte público da cidade. Por isso resolvemos intensificar nossas ações”, afirma Rosana Chiavassa, presidente da ASAS – Associação das Advogadas, Estagiárias e Acadêmicas do Direito de São Paulo – que se uniu a Casa de Isabel, entidade que acolhe mulheres vítimas da violência – para criar e desenvolver esse movimento social. “A maioria das mulheres vítimas dessa violência sofrem caladas por medo ou vergonha. O Dia da Apitação que estamos realizando visa não somente esclarecê-las, mas também orientá-la sobre como agir caso sejam molestadas ou ameaçadas”, explica.

Segundo Chiavassa, o movimento, em duas grandes ações, uma na estação Brás do Metrô e CPTM e outra nas estações do Metrô na Avenida Paulista, já distribuiu mais de 20 mil apitos e folhetos com orientação. “Nosso objetivo até o final da nossa campanha, que não cessará nem durante a Copa, é distribuir cerca de 300 mil apitos e folhetos”, revela a presidente da ASAS. “Transformamos o apito numa arma de defesa, que deve ser levado na bolsa como qualquer outro pertence essencial. A mulher, se por acaso se sentir ameaçada ou vir outra em situação semelhante, deve tocar o apito para afastar o agressor, chamar a atenção do ambiente e, também, dos seguranças”, explica.

O diferencial dessa nova ação é que, além das estações do Metrô e da CPTM, o Dia da Apitação também acontecerá nas portas de algumas importantes faculdades de São Paulo. “Escolhemos os lugares de grande movimentação e as faculdades não podem ficar de fora”, conta Chiavassa.

 

Agenda dos locais e horários de Apitação





28/mai (quarta)
-
-
15h00 / 16h00
Terminal Lapa (Rua Guaicurus, 1438) + Mercadão da Lapa + Rua 12 de outubro
Oeste
19h00
UNIP Marquês (Av. Marquês de São Vicente, 3001)
Oeste
29/mai (quinta)
07h00
Estação de Metrô Santo Amaro
Sul
10h00
Estação de Metrô Largo Treze
Sul
 
 
 
19h00
UNISA (Rua Humboldt, 29)
Sul
30/mai (sexta)
07h00
Estação de Metrô Corinthians-Itaquera (Rua do Contorno, 60)
Leste
10h00
Estação de Metrô Vila Matilde
Leste
13h00
Estação de Metrô Tatuapé (Rua Catiguá, s/nº)
Leste
19h00
Faculdade Carlos Drummond de Andrade (Rua Profº Pedreira de Freitas)
Leste
01/junho (domingo)
09h00
Portaria Parque do Ibirapuera
Sul
12h00
Portaria Parque Villa Lobos
Oeste
16h00
Portaria Parque do Carmo

 

47% dos empresários do comércio temem prejuízos com as
manifestações na Copa, mostra SPC Brasil

Durante a Copa das   Confederações,  em  junho   do   ano   passado,   o setor registrou o pior resultado de vendas para o
mês, segundo dados da CNDL e do SPC

 

Um terceiro painel da pesquisa sobre os empresários e a Copa do Mundo, encomendada pelo Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil) e pela Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL), aponta que 47% dos comerciantes acreditam que o comércio deve sofrer perdas de faturamento por conta das manifestações de rua. O estudo ouviu 600 proprietários e gestores de empresas cujos segmentos de atuação têm relação direta com o evento nas sete cidades-sede que mais receberão partidas (São Paulo, Rio de Janeiro, Belo Horizonte, Brasília, Salvador, Recife e Fortaleza).

De modo geral o estudo aponta que a maioria dos entrevistados (77%) acredita que vão ocorrer manifestações durante os jogos da Copa. No entanto, este percentual varia, dependendo da cidade-sede analisada. Em Belo Horizonte/MG, por exemplo, o percentual daqueles que apostam na ocorrência de manifestações chega a 100%, seguido por Fortaleza/CE (92%) e Recife (90%). Os percentuais mais baixos estão em Brasília/DF (66%), em São Paulo/SP (72%) e no Rio de Janeiro/RJ (73%).

A pesquisa mostra que, no total, 47% dos entrevistados acreditam que a onda de manifestações irá impactar os negócios de forma negativa. Na avaliação do presidente da Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL), Roque Pellizzaro Junior, é natural que o os comerciantes estejam receosos, visto que o varejo -- principalmente o de rua e o das grandes capitais-- amargou prejuízos em junho do ano passado, durante a Copa das Confederações.

"O indicador de vendas na época apontou o pior resultado para o mês de junho de toda nossa série histórica. Muitos lojistas tiveram perdas por conta de depredações e outros tiveram que fechar as portas mais cedo por conta dos tumultos", explica Pellizzaro Junior.

Os percentuais apresentados na pesquisa também variam muito de cidade para cidade. Em Belo Horizonte, por exemplo, 81% dos empresários afirmam que, com certeza, haverá efeito negativo. Por outro lado , o número cai para 49% em Fortaleza/CE, reduz-se para 11% em Brasília/DF e praticamente desaparece no Rio de Janeiro (3%).


Causas

Os empresários que participaram do estudo apontaram duas causas principais para um provável impacto negativo: o consumidor vai evitar frequentar locais públicos (55% das respostas) e o estabelecimento ficará mais tempo fechado diante dos riscos de violência, saques e depredações do estabelecimento (45%). Os impactos negativos sobre as vendas seriam fortes, com consequência negativa para o evento como um todo.

Pellizzaro Junior explica que, a exemplo do que ocorreu no ano passado, quando grandes vias públicas foram interditadas por conta dos protestos, a população evitou se deslocar até shopping centers ou grandes magazines localizadas em regiões de fluxo, preferindo postergar as compras, ou -- na melhor das hipóteses -- comprar em estabelecimentos menores e mais próximos de suas casas.


Metodologia

Foram entrevistados proprietários e gestores de empresas cujo segmento de atuação tem relação direta com a Copa do Mundo nas cidades selecionadas. O tamanho amostral da pesquisa foi de 600 casos, gerando uma margem de erro no geral de 4,0 pontos percentuais para um intervalo de confiança de 95%.

terça-feira, 27 de maio de 2014


Pesquisa aponta que segurança é a maior preocupação dos internautas com relação à Copa do Mundo

Embora 38% acreditem que a Copa do Mundo será um sucesso, estudo do QuliBest mostra que brasileiros têm ciência dos problemas gerados pelo evento.

Dentre os entrevistados, 67% dos dizem que o evento não será tranquilo e 63% acreditam que haverá confrontos entre polícia e manifestantes.

O Instituto QualiBest (www.institutoqualibest.com.br) - pioneiro no segmento de pesquisas online no Brasil, com mais de 250 mil consumidores cadastrados - acaba de divulgar os resultados da pesquisa "O Lado Negro da Copa". O objetivo do estudo, realizado de 17 a 24 de abril deste ano, foi analisar a opinião dos internautas brasileiros com relação a possíveis acontecimentos negativos durante a realização do mundial no país.

Em linhas gerais, homens e mulheres de todas as regiões do Brasil, representantes das classes ABC (Critério Brasil), se mostraram interessados na Copa do Mundo, mas não deixaram de lado os problemas que o evento representa - embora 38% acreditem que o even to será um sucesso.

Dentre os entrevistados, 63% têm interesse no mundial, contra 50% dos que acompanham futebol. O destaque fica por conta dos respondentes de classe C, que apresentaram um baixo índice de interesse na Copa do Mundo.

Sobre o que mais assusta os internautas com a realização do grande evento, segurança e criminalidade lideraram, com 32%, as respostas espontâneas. Já estimulados, diante de opções relacionadas à violência, as mais apontadas foram o aumento dos assaltos, furtos e assassinatos (74%), a liberação de bebidas alcoólicas nos estádios (71%) e a falta de preparo da polícia para lidar com multidões (71%).

As precauções com evento também pesam no momento de decidir onde ver os jogos, pois 37% dos entrevistados disseram que não têm intenção de acompanhar as partidas em praças ou outros locais públicos - contra 26% que têm intenção de fazê-lo.

Questionados sobre os espaços públicos oficiais, organizados para a tr ansmissão dos jogos, apenas 35% dos entrevistados conhecem o Fifa Fan Fest. Dentre estes, 30% não têm interesse em acompanhar jogos nesses locais.

Tanta cautela não existe sem motivo. Para 67% dos entrevistados pelo QualiBest, a Copa do Mundo não deixará legado; mas haverá ônus para o país e para o povo. O mesmo percentual acredita que o evento não será tranquilo como se espera e 63% concordam - totalmente (23%) ou em parte (40%) - que haverá confrontos entre polícia e manifestantes. Como consequência, 46% dos respondentes afirmaram que ficarão apreensivos ao sair de casa nos dias de jogos.

Além da segurança, a infraestrutura também não inspira confiança entre os entrevistados: 89% acreditam que haverá congestionamentos nos dias de jogos e 87% garantem que o transporte público não será suficiente para atender aos torcedores a caminho dos estádios.

Na vitória e na derrota?

Boa parte dos entrevistados (40%) não acredita que haja algum acordo para que o Brasil vença o mundial. Mas, seja qual for o resultado, a maioria (57%) afirma que a imagem do Brasil ficará péssima frente aos estrangeiros. Apesar disso, 53% acham que o patrocínio ao evento deve reforçar a proximidade das marcas junto ao público.

Já na hipótese de a seleção ser eliminada, 40% disseram que o mundo verá que sabemos perder. Porém, ao mesmo tempo, 38% dos internautas também concordam que a derrota poderá contribuir com o aumento de manifestações e atos de vandalismo.

Ainda neste cenário, segundo 50% dos participantes, uma possível derrota brasileira não influenciaria a eventual reeleição da presidente Dilma Rousseff.

Metodologia
Estudo quantitativo online, a partir de questionário enviado aos cadastrados no Painel QualiBest.

Amostra
As entrevistas foram feitas com 633 pessoas, incluindo homen s e mulheres com mais de 18 anos, representantes das classes ABC (Critério Brasil), de todas as regiões do Brasil. A média de idade dos participantes foi de 31,1 anos, sendo 10% da classe A, 65% da classe B e 25%, classe C.

Campo
Coleta de dados realizada entre os dias 17 e 24 de abril de 2014.
Cartilha do turista para a Copa. (Charge de NEF)

domingo, 25 de maio de 2014


BRASILEIRO TRABALHARÁ ATÉ 31 DE MAIO DE 2014 PARA PAGAR TRIBUTOS, APONTA IBPT
Estudo informa que 41,37% do rendimento bruto do contribuinte será destinado ao recolhimento dos tributos federais, estaduais e municipais

Em 2014, a alforria tributária dos contribuintes brasileiros será concedida no dia 31 de maio, quando terão destinado 151 dias, ou exatos cinco meses de trabalho, somente para o pagamento de impostos, taxas e contribuições aos cofres públicos. As informações estão no estudo “Dias Trabalhados Para Pagar Tributos – 2014” lançado nesta terça-feira, 20 de maio de 2014, pelo Instituto Brasileiro de Planejamento e Tributação – IBPT. A data chega um dia mais tarde do que em 2012 e 2013, quando o brasileiro destinou 150 dias de trabalho para ficar em dia com os Fiscos federal, estaduais e municipais.

De acordo com o presidente-executivo do IBPT, João Eloi Olenike, “o brasileiro deverá destinar 41,37% do seu rendimento bruto para pagar os tributos, percentual que no ano passado ficou em 41,10%.”

A edição de 2014 do estudo do IBPT traz ainda um comparativo com dezenas de países que possuem elevadas cargas tributárias, inclusive superiores a do Brasil, nos quais os cidadãos destinam menos dias de trabalho para o recolhimento de tributos. “O Brasil exige que o cidadão trabalhe mais do que os habitantes de países como a Hungria, onde são necessários 142 dias para o pagamento de impostos; a Alemanha, com 138 dias; e a Bélgica, onde a média é de 102 dias de trabalho”, afirma Olenike.


O executivo ressalta que a quantidade de dias trabalhados no Brasil se aproxima da Noruega, país em que o cidadão destina 154 dias de trabalho, mas obtém qualidade de vida superior. “Se incluirmos os gastos em saúde, educação e outros serviços particulares, o brasileiro destinará uma parcela ainda maior de seus rendimentos para compensar a ineficiência do governo.”

Para concluir o levantamento, o IBPT considerou tributos incidentes sobre salários e honorários, tais como Imposto de Renda e contribuições previdenciárias; os tributos embutidos nos produtos e serviços, como PIS, COFINS, ICMS, IPI, ISS e também sobre o patrimônio, entre os quais se incluem IPTU, IPVA, ITCMD, ITBI e ITR.  As taxas de limpeza pública, coleta de lixo, emissão de documentos, bem como as contribuições, como no caso da iluminação pública, também entraram no cálculo do IBPT.

Domingo é o Dia Internacional da Tireoide

Diagnóstico de disfunções da glândula é simples e de baixo custo

Hipotireoidismo acomete 20% da população de idosos

O próximo domingo, 25 de maio, marca o Dia Internacional da Tireoide. Os testes de diagnóstico de disfunções tireoidianas são simples, de baixo custo, muito eficazes e acessíveis para maioria da população, incluindo os pacientes do SUS (Sistema Único de Saúde).

“A mensuração do TSH é o exame de triagem inicial. Quando normal, afasta-se alterações da função tireoidiana e deve ser repetido a cada cinco anos em indivíduos acima de 35 anos. Quando alterado, um segundo exame deve ser realizado, acompanhado da dosagem de T4 Livre para confirmação do diagnóstico”, explica Dr. José Augusto Sgarbi, especialista da Regional São Paulo da Sociedade Brasileira de Endocrinologia e Metabologia (SBEM-SP).

Hipotireoidismo – É a doença mais frequente entre as disfunções tireoidianas e compromete cerca de 8% da população brasileira adulta. Mais comum na pós-menopausa, pode atingir até 20% dos idosos. 

Os sintomas são muitas vezes confundidos com outras doenças ou sinais da própria idade. São eles: cansaço, alteração do humor, obstipação intestinal, ressecamento de pele e de cabelos. Por isto, indivíduos de risco, incluindo mulheres na pós-menopausa, idosos, pessoas com antecedentes familiares de doenças tireoidianas, com depressão e aumento de colesterol devem ser submetidos ao exame de triagem. 

Hipotireoidismo na gravidez - O hipotireoidismo não detectado, ainda que leve, está associado às complicações obstétricas e fetais, como parto prematuro, baixo peso ao nascimento, morte fetal, além de poder afetar o desenvolvimento neurológico da criança, com comprometimento cognitivo variável, desde leves até o retardo mental. Assim, Gestantes também fazem parte do grupo de pessoas que devem realizar exames para detectar disfunções tireoidianas.

“Não há um consenso para triagem universal da função tireoidiana durante a gestação e o assunto é bastante polêmico. No Brasil, estamos elaborando o Consenso Brasileiro de Disfunções Tireoidiana na Gestação. Há duas posições hoje, uma a favor do screening universal e outra favorável apenas para pacientes com alto risco. Esperamos concluir este consenso ainda durante o mês de maio”, informa o Dr. Sgarbi, que é responsável pela coordenação deste consenso.

Tratamento - Embora produza alterações mais agudas e sintomáticas, o Hipertireoidismo é geralmente curável por medicamentos, cirurgia ou iodo radioativo. Já o Hipotireoidismo, uma vez detectado, costuma ser definitivo, com utilização de medicamento para o resto da vida. No entanto, o tratamento é simples, de baixo custo, muito eficaz e praticamente desprovido de efeitos colaterais.

 

SBEM-SP (Sociedade Brasileira de Endocrinologia e Metabologia do Estado de São Paulo) - Twitter: @SBEMSP - Facebook: Sbem-São-Paulo - http://sbemsp.org.br/

sábado, 24 de maio de 2014

Brasileiros não estão interessados pela Copa do Mundo

A poucos dias do evento, pesquisa da Ipsos Media CT aponta que percentual de desinteresse é muito alto em todo Brasil. O interior de São Paulo é a região com o maior número de desinteressados pelo tema (32%); BH e Vitória aparecem com 31% cada; Curitiba com 30% e São Paulo com 29%


Faltando poucos dias para a abertura oficial da Copa do Mundo no Brasil, a Ipsos Media CT - área especializada em mídia, conteúdo e tecnologia da Ipsos – acaba de desenvolver uma pesquisa para identificar o interesse dos brasileiros neste grande evento.
Para a surpresa de muitos, o desinteresse é muito alto em muitas cidades brasileiras. O interior de São Paulo é a região com o maior número de desinteressados pelo tema com 32% dos pesquisados; Belo Horizonte e Vitória aparecem em seguida com 31% cada; Curitiba com 30% e São Paulo com 29%. “Com tantas manifestações acontecendo às vésperas da Copa do Mundo, acreditamos que isso desmotive o interesse dos brasileiros com o evento”, afirma Diego Oliveira, diretor de contas da Ipsos Media CT.
As cidades que mostraram maior interesse no assunto são Fortaleza e Salvador que empataram com 24%. Fortaleza também foi considerada a região que mais acredita na vitória do Brasil nesta Copa com 54%, seguida por Brasília (49%), Salvador (49%) e Goiânia (48%).
Salvador também foi apontada como a cidade mais bem informada com 46%, seguida de Brasília (42%), Fortaleza (38%) e Curitiba (36%). A TV foi o meio mais utilizado para buscar informações sobre a Copa do Mundo com 89%, a internet vem logo atrás com 28%.
Veja abaixo o gráfico completo com o grau de interesse dos brasileiros com a Copa do Mundo:









sexta-feira, 23 de maio de 2014


 

50.000 crianças morrem todo ano no Brasil

Estudo traz informações essenciais para combater este problema social e de saúde pública, como o direito ao pré-natal de qualidade, ao parto humanizado e à assistência ao recém-nascido e à mãe

O Brasil tem feito progressos na redução da taxa de mortalidade infantil e da infância nos últimos anos, mas 50.000 crianças com menos de cinco anos ainda morrem todo ano no país, e as crianças da região Nordeste têm duas vezes mais propensão a morrer nessa fase da vida do que as crianças do Sudeste.
         Além disso, 80% dessas crianças morrem antes de completar um ano e metade delas vão a óbito durante os primeiros sete dias de vida. O governo está ciente de que os recém-nascidos morrem por causas evitáveis, e reconhece que os óbitos estão relacionados a "condições socioeconômicas insatisfatórias, saúde materna precária e serviços de saúde inadequados durante a gravidez, o parto e a infância".
         Diante deste cenário, a Fundação Abrinq – Save the Children lança a cartilha – Construindo o cuidado necessário para a mamãe e o seu bebê que traz informações essenciais sobre o direito ao pré-natal de qualidade, ao parto humanizado, à assistência ao recém-nascido e à mãe, além de dados sobre a legislação vigente.
         Produzida em parceria com o Centro Nordestino de Medicina Popular e com o patrocínio máster da Reckitt Benckiser, a publicação, que faz parte do Projeto Salvando Vidas no Nordeste, é dividida em cinco capítulos: ‘Planejamento Familiar’ e ‘Contracepção’, ‘Gravidez’, ‘Parto’, ‘O bebê nasceu, o parto acabou?’ e ‘Período pós-parto imediato’.
         O objetivo é fortalecer os profissionais de saúde da Atenção Básica dos municípios pernambucanos de Lagoa Grande, Trindade, Ipubi, Santa Filomena, Cabrobó e Ouricuri, por meio de um diálogo com profissionais de saúde sobre atenção à saúde da mulher, da gestante e do recém-nascido.


A versão digital da cartilha pode ser visualizada no link http://sistemas.fundabrinq.org.br/biblioteca/acervo/mamae_bebe.pdf

Projeto Salvando Vidas de Crianças no Nordeste
         Visa reduzir as taxas de mortalidade materna e infantil em 10 cidades dos estados de Pernambuco e Bahia. Com o objetivo de melhorar a qualidade dos serviços de saúde prestados para gestantes e crianças na primeira infância, ele prevê apoio técnico aos órgãos municipais de saúde, ações de mobilização social nas comunidades, formação e treinamento de profissionais especializados no atendimento materno e infantil. Conta com o patrocínio máster da Reckitt Benckiser.

Resultados em 2013
- 6 municípios participantes de 1 Estado brasileiro (Pernambuco);
- 1 organização social brasileira;
- 4.533 crianças beneficiadas;
- 328 gestantes beneficiadas;
- 151 profissionais de Saúde participaram da formação sobre cuidados com a gestante e o bebê;
- 62 profissionais de Saúde participaram da formação sobre a investigação do óbito materno e infantil;
- 27 gestores de Saúde presentes no encontro de apoio às Secretarias Municipais de Saúde;
- 79 mulheres líderes comunitárias foram formadas sobre o exercício do controle social na Saúde;
- 59 promotoras de Saúde presentes no curso de saúde sexual e reprodutiva;
- 1.096 adolescentes participaram das apresentações de teatro sobre os direitos sexuais e reprodutivos

SBM lança movimento #Mamografiaapartirdos40

A Sociedade Brasileira de Mastologia (SBM) lança esta semana o movimento #mamografiaapartirdos40 – Direito e dever de toda mulher, uma ação da campanha Eu amo meus peitos, criada pela entidade para exaltar os cuidados com a saúde da mama e disseminar informações sobre a prevenção do câncer. A ideia do movimento é enfatizar a importância para as mulheres de realizar, anualmente, a mamografia a partir dos 40 anos, o que para os mastologistas é primordial para a saúde da mulher. Essa luta, inclusive, vai de encontro ao Ministério da Saúde que, através da Portaria 1.253/2013, restringiu o repasse de verbas da União aos municípios para mamografias em pacientes na idade entre os 50 e 69 anos, além da mamografia unilateral – exame realizado como forma de rastreamento em apenas uma das mamas.

De acordo com o presidente da SBM, Dr. Ruffo de Freitas Júnior, o câncer de mama é o segundo tipo mais comum em número de casos no Brasil, só perdendo para o de pele. Somente este ano, o câncer de mama terá cerca de 60 mil novos casos, um aumento de 15% em comparação ao ano passado, segundo o Governo Federal. Nesse contexto, a SBM prega a realização da mamografia a partir dos 40 anos, já que alguns estudos apontam a redução da mortalidade do câncer de mama em até 35%, além de, através do diagnóstico precoce, as chances de curar poderem chegar a 95% dos casos. “Tanto a experiência do consultório quanto os inúmeros estudos e acompanhamentos realizados pelos principais mastologistas do Brasil e do exterior comprovam que a idade ideal para o início do trabalho preventivo, via mamografia, é 40 anos. Vários são os fatores que contribuem para essa conclusão, um deles o próprio estilo de vida estressante atual, alimentação, entre outros, que contribuem para a manifestação da doença cada vez mais cedo”, afirma o presidente.

O mastologista faz um alerta para que os médicos continuem solicitando a mamografia de rastreamento para pacientes a partir dos 40 anos e não aceitem a chamada mamografia unilateral. “Como especialistas, temos a responsabilidade de educar e informar à sociedade sobre os procedimentos mais corretos e seguros em prol da saúde preventiva. E a mamografia é um instrumento de extrema importância, tendo reflexo na redução de cirurgias mutiladoras (mastectomias), diminuição de sofrimento e melhor qualidade de vida da paciente após o câncer”, conclui.

O movimento #mamografiaapartirdos40 pretende mobilizar o maior número de mulheres possível. Para aderir a causa, basta que as pessoas publiquem em suas redes uma foto com a plaquinha aderindo ao movimento #mamografiaapartirdos40, compartilhando com os amigos e contribuindo com a disseminação da informação.

SBM lança movimento #Mamografiaapartirdos40

 

A Sociedade Brasileira de Mastologia (SBM) lança esta semana o movimento #mamografiaapartirdos40 – Direito e dever de toda mulher, uma ação da campanha Eu amo meus peitos, criada pela entidade para exaltar os cuidados com a saúde da mama e disseminar informações sobre a prevenção do câncer. A ideia do movimento é enfatizar a importância para as mulheres de realizar, anualmente, a mamografia a partir dos 40 anos, o que para os mastologistas é primordial para a saúde da mulher. Essa luta, inclusive, vai de encontro ao Ministério da Saúde que, através da Portaria 1.253/2013, restringiu o repasse de verbas da União aos municípios para mamografias em pacientes na idade entre os 50 e 69 anos, além da mamografia unilateral – exame realizado como forma de rastreamento em apenas uma das mamas.
De acordo com o presidente da SBM, Dr. Ruffo de Freitas Júnior, o câncer de mama é o segundo tipo mais comum em número de casos no Brasil, só perdendo para o de pele. Somente este ano, o câncer de mama terá cerca de 60 mil novos casos, um aumento de 15% em comparação ao ano passado, segundo o Governo Federal. Nesse contexto, a SBM prega a realização da mamografia a partir dos 40 anos, já que alguns estudos apontam a redução da mortalidade do câncer de mama em até 35%, além de, através do diagnóstico precoce, as chances de curar poderem chegar a 95% dos casos. “Tanto a experiência do consultório quanto os inúmeros estudos e acompanhamentos realizados pelos principais mastologistas do Brasil e do exterior comprovam que a idade ideal para o início do trabalho preventivo, via mamografia, é 40 anos. Vários são os fatores que contribuem para essa conclusão, um deles o próprio estilo de vida estressante atual, alimentação, entre outros, que contribuem para a manifestação da doença cada vez mais cedo”, afirma o presidente.
O mastologista faz um alerta para que os médicos continuem solicitando a mamografia de rastreamento para pacientes a partir dos 40 anos e não aceitem a chamada mamografia unilateral. “Como especialistas, temos a responsabilidade de educar e informar à sociedade sobre os procedimentos mais corretos e seguros em prol da saúde preventiva. E a mamografia é um instrumento de extrema importância, tendo reflexo na redução de cirurgias mutiladoras (mastectomias), diminuição de sofrimento e melhor qualidade de vida da paciente após o câncer”, conclui.
O movimento #mamografiaapartirdos40 pretende mobilizar o maior número de mulheres possível. Para aderir a causa, basta que as pessoas publiquem em suas redes uma foto com a plaquinha aderindo ao movimento #mamografiaapartirdos40, compartilhando com os amigos e contribuindo com a disseminação da informação.

quarta-feira, 21 de maio de 2014



Campanha de doação de sangue no Hospital Santa Cruz



Hospital Santa Cruz e o Banco de Sangue Paulista realizam até 23 de maio a Campanha de Doação de Sangue no CAS – Centro de Ação Social do Hospital Santa Cruz, Rua Santa Cruz, 539 das 8h às 17h.
Os interessados em participar da campanha devem ter mais de 18 anos e menos de 65 anos, pesar mais de 50 kg e não estar resfriado. Nas 24 horas que antecedem a doação, o interessado não deve ingerir bebidas alcoólicas e deve ter dormido ao menos 6 horas. A alimentação deve ser suspensa duas horas antes da doação.

 

Outras informações sobre a doação de sangue podem ser obtidas pelo telefone: (11) 5080-2058 ou site: http://hospitalsantacruz.com.br

 

segunda-feira, 19 de maio de 2014


No Dia Mundial da Doação de Leite Humano, conheça os benefícios da amamentação

 

Além de ser uma fonte completa de nutrientes, o leite materno ajuda no crescimento e fortalecimento de bebês prematuros, garantindo a saúde dos recém-nascidos 

 

O Dia Mundial da Doação de Leite Humano, comemorado em 19 de maio, é uma ótima data para lembrar todas as mães da importância da amamentação. A Organização Mundial da Saúde (OMS) recomenda que todos os bebês sejam alimentados somente com leite materno até os seis meses de idade. Isso porque o leite humano é comprovadamente a maior fonte de nutrientes para o recém-nascido e colabora principalmente para a formação do sistema imunológico da criança.

“O leite humano ajuda no crescimento principalmente das crianças que nascem prematuramente, já que favorece o fortalecimento do organismo do bebê”, explica o Dr. Jurandir Passos, ginecologista, obstetra e especialista em medicina fetal do Lavoisier Medicina Diagnóstica. As mães que produzem leite além da necessidade do seu bebê podem buscar um Banco de Leite, normalmente localizados nas maternidades, para doarem para outras crianças. “Um litro de leite doado pode alimentar até 10 recém-nascidos”, detalha o especialista.

O Brasil tem uma extensa cadeia de bancos de leite e, depois de doado, o alimento passa por um processo de pasteurização para garantir que esteja em perfeitas condições quando for destinado aos bebês prematuros que estão em centros de tratamento intensivo neonatal. Os bancos de leite fazem um cadastramento das doadoras, acompanham o processo de aleitamento e dão orientações sobre a doação. Além disso, há um controle rígido da saúde da doadora para garantir também a preservação da saúde dos recém-nascidos que receberão o leite. 

 

Confira dicas sobre a doação e os benefícios do leite materno:

  • O leite humano pode evitar doenças como vários tipos de alergias, obesidade e intolerância ao glúten;

 

  • Por ser facilmente digerido, provoca menos cólicas nos bebês;

 

  • Para a doação, o mais recomendado é que a ordenha seja feita manualmente, evitando contaminações;

 

  • O frasco com leite retirado deve ser esterilizado e armazenado no refrigerador ou freezer. O líquido pode ficar armazenado por até 15 dias;

 

  • O leite humano contém uma molécula chamada PSTI, que é responsável pela proteção e reparação do intestino delicado dos recém-nascidos;

 

  • Algumas substâncias presentes no leite humano também ajudam a combater o estresse e o cansaço do bebê;

 

  • Para doar, a mulher não deve consumir bebidas alcoólicas, substâncias ilícitas, cigarros ou qualquer medicação que interfira na produção do leite;

 

  • A coleta pode ocorrer tanto em Bancos de Leite quanto em domicílio, sendo recolhido na casa das doadoras pelo Corpo de Bombeiros.